Catarina Labouré

Catarina Labouré nasceu no dia 2 de maio de 1806, numa aldeia da Borgonha, Fain-les-Moutiers. Era a oitava dos dez filhos de Pedro e Madalena Labouré, proprietários da fazenda. A morte de Madalena, aos 46 anos, deixa a família mergulhada no luto. Catarina, em lágrimas, sobe numa cadeira para abraçar a estátua da Santíssima Virgem e lhe diz: "Agora, tu serás minha mamãe".

Colombier où Catherine soignait 800 pigeons Aos vinte e quatro anos, Catarina, depois de ter vencido muitos obstáculos, entra como noviça na Casa Mãe das Filhas da Caridade, à rua do Bac, em Paris. Foi aí, na Capela, que a Santíssima Virgem lhe apareceu alguns meses mais tarde; a primeira vez, em 19 de julho de 1830, para lhe anunciar uma missão. A segunda vez, no dia 27 de novembro do mesmo ano, para lhe revelar a medalha que Catarina será encarregada de mandar cunhar.
No ano seguinte, seu seminário terminado, Irmã Catarina foi colocada em Reuilly, na época subúrbio localizado no sudeste de Paris. Ela será encarregada, até o fim de sua vida, dos anciãos que aí viviam, desconhecida de todos, enquanto que a medalha se espalhava, milagrosamente, pelo mundo inteiro.
Catarina Labouré morre, na paz do Senhor, em 31 de dezembro de 1876: "Parto para o céu… ver Nosso Sehor, sua Mãe e São Vicente".
Em 1933, por ocasiao de sua beatificação, foi aberta sua sepultura, na Capela de Reuilly. O corpo de Catarina foi encontrado intacto e transferido para a Capela da rua do Bac, sendo instalado sob o altar da Virgem do Globo.